ASTECA


7 milhões de brasileiros têm FGTS atrasado; veja maiores devedores


Pelo menos 7 milhões de trabalhadores brasileiros estão com o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) atrasado. O benefício, garantido pela Constituição como forma de o trabalhador constituir 1 patrimônio, não tem sido depositado por parte de diversas empresas, totalizando dívida ativa de R$ 27,8 bilhões no último mês de abril, cobrada pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN). A informação foi divulgada pelo portal UOL, que teve acesso aos dados do órgão. No portal Economia ao Minuto.

Uma das razões por trás do “calote” ao FGTS seriam as dificuldades financeiras das empresas, segundo especialistas ouvidos na reportagem. Quando os primeiros problemas surgem no âmbito das finanças, o Fundo de Garantia costuma a ser uma das primeiras dívidas a não serem pagas.

“Há uma maior lentidão na cobrança, pois o Fisco não é um cobrador tão eficiente quanto pode parecer”, explicou ao UOL a advogada Adriana Pugliesi, especialista em Direito Comercial e professora do CEU Law School.

Apenas entre março e abril deste ano, o montante devido pelas empresas teria crescido 13,5%. Os 15 maiores devedores somam, sozinhos, pelo menos R$ 2,17 bilhões em passivos. Na lista também estão a massa falida de empresas famosas, como a Varig — com dívida de R$ 820 milhões — e a Vasp — com R$ 160 milhões em débito, empresas aéreas que lideram a lista de devedores.

Leia abaixo a relação completa dos 15 maiores devedores de FGTS no Brasil, segundo dados da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional obtidos pelo portal:

1. S.A. Viação Aérea Rio-Grandense (massa falida): R$ 820 milhões

2. Viação Aérea São Paulo S.A – Vasp (massa falida): R$ 160 milhões

3. Associação Sociedade Brasileira de Instrução (Universidade Cândido Mendes): R$ 132 milhões

4. Sociedade Universitária Gama Filho: R$ 130 milhões

5. TV Manchete LTDA: R$ 107 milhões

6. Vale S.A: R$ 105 milhões

7. Laginha Agro Industrial S.A: R$ 103 milhões

8. Eletropaulo S.A: R$ 91 milhões

9. Associação Educacional São Paulo Apóstolo (Assespa): R$ 89 milhões

10. Smar Equipamentos Industriais Ltda. (massa falida): R$ 80 milhões

11. Associação de Ensino Superior de Nova Iguaçu: R$ 79 milhões

12. Zihuatanejo do Brasil Açúcar e Álcool S.A (em recuperação judicial): R$ 75 milhões

13. Teka Tecelagem (em recuperação judicial): R$ 74 milhões

14. Associação Salgado de Oliveira de Educação e Cultura: R$ 65 milhões

15. Usina Pumaty S.A (em recuperação judicial): R$ 62 milhões

Fonte: http://www.inacioepereira.com.br

Comentários