ASTECA


Em São Paulo, federações dos químicos se unem para campanha salarial


Categoria amplia mobilização para enfrentar patrões

Escrito por: Confederação Nacional do Ramo Químico •

Publicado em: 26/09/2017 - 12:50 • Última modificação: 26/09/2017 - 13:19

 

 

Confederação Nacional do Ramo Químico

As federações que reúnem os sindicatos de trabalhadores e trabalhadoras do Setor Químico no Estado de São Paulo, uma ligada à CUT e a outra à Força Sindical, estão caminhando juntas na Campanha Salarial 2017 do Setor Químico no Estado de São Paulo.

A Fetquim-CUT e a Fequimfar-Força Sindical realizaram na manhã de segunda-feira (25) um ato de entrega da Pauta de Reivindicações ao setor patronal para marcar a unidade na luta pelas reivindicações diante do difícil cenário de crise política e econômica por que passa o nosso País.

Juntas as entidades representam cerca de 380 mil trabalhadores em todo o estado, onde cerca de 300 mil estão envolvidos diretamente nesta Campanha Salarial, que tem a data base em 1º de novembro próximo.

Na pauta de reivindicações estão as principais bandeiras de luta desta Campanha: reajuste e aumento real de salários, no Piso e na PLR; manutenção e avanços nas cláusulas sociais; e custeio sindical.

“Esta campanha tem uma novidade: a unidade na luta, a unidade entre as centrais. Nossa pauta não é igual, mas é parecida. Vamos defender a nossa convenção, construída com muito suor, muita luta, pessoas que deram suas vidas, e defender os trabalhadores e trabalhadoras do ramo químico”, pontuou o coordenador político da Fetquim, Aírton Cano, durante a atividade que contou também com a presidenta da CNQ-CUT, Lucieneide Varjão.

Fonte: INFORMATIVO CUT BRASIL

Comentários