ASTECA


Metalúgicos de Caxias do Sul param atividades em defesa dos direitos


Nesta segunda-feira (21), o Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Caxias do Sul realiza o Dia de Luta do Metalúrgico por valorização e contra a ganância dos patrões. Durante a manhã, paralisações ocorreram nas empresas Marcopolo Ana Rech e Planalto, San Marino/Neobus e Randon.

Os trabalhadores não entraram nas fábricas até por volta das 10 horas. A mobilização em prol dos metalúrgicos teve a colaboração de outras entidades, como o sindicato dos comerciários, da limpeza, dos rodoviários, metalúrgicos de Carlos Barbosa, além do deputado federal Assis Melo.

Claudecir Monsani, presidente em exercício do Sindicato, falou que o Dia de Luta tem o objetivo de mostrar aos patrões que a categoria não aceita o reajuste oferecido por eles de somente o índice da inflação de 3,34%. "Os patrões querem apertar o trabalhador tudo o que der. Mas, o trabalhador não é objeto. Precisa e deve ser valorizado. Se necessário, vamos parar tudo de novo e de novo", ressaltou o presidente.

"Estamos aqui lutando pela dignidade do trabalhador. Dignidade não tem preço", esse foi o tom do discurso do deputado federal Assis Melo. Ele também mencionou a reforma trabalhista. "Acabaram com o direito dos trabalhadores em uma noite. Os trabalhadores precisam se unir porque a perspectiva não é de melhorar. O que esse governo está fazendo é liquidar com a nação", avaliou o deputado.

Para finalizar o ato em frente a Marcopolo Ana Rech, os trabalhadores fecharam a rua e em coro disseram "NÃO" a proposta dos patrões. Novos atos estavam programados para prosseguir durante o dia. 

Leia também:
Centrais Sindicais voltam a se reunir para organizar plenária nacional

 

Por Uliane da Rosa para o Portal CTB 

Fonte: Portal Vermelho

Comentários