ASTECA


Q que a Asteca poderia fazer por sua entidade


Em 18 de maio de 1981, a Asteca foi fundada por Yukitaka Mito, administrador de empresas, e antigo dirigente sindical bancário, então administrador sindical, e José Augusto Azeredo, ex-militante sindical metalúrgico, então desempregado, cujo empreendimento teve de ser financiado, no início, apenas pelo ex-bancário.

Assim, a Asteca já nasceu sob o signo da solidariedade e da fraternidade, e inspirada nos ideais democráticos, contra qualquer preconceito, seja ideológico, político, religioso, racial ou outro. Nosso objetivo sempre foi o de transmitir aos dirigentes sindicais e às ong's, o patrimônio teórico e a experiência acumulada pelos seus fundadores, quer no campo político, quer em matéria de gestão sindical.

A Asteca surgiu, então, com o propósito de, muito além de fazer a contabilidade dos clientes, oferecer-lhes as ferramentas necessárias para consolidar um novo modelo de gestão de entidades sem fins lucrativos, baseado na ciência e na técnica; na competência e na transparência, que implica em democracia e cidadania: nos princípios da honestidade e da moralidade; na organização e no planejamento; e no entendimento da natureza política da administração como parte integrante e indispensável da logística necessária à ação política das entidades sindicais e ong´s.

A prática cotidiana desses princípios levou a Asteca a conquistar, desde seus primórdios, o apoio dos dirigentes sindicais mais comprometidos com a luta, ou seja, dos sindicalistas então chamados de autênticos. Hoje atendemos mais de 100 clientes em todo o Brasil, entre sindicatos filiados a diversas centrais, ong's, cooperativas e outras, inclusive, empresas de profissionais amigos.

Com muito orgulho, contamos com o respeito e a confiança da parcela mais expressiva do movimento sindical de vanguarda.

O trabalho que a Asteca oferece ao mercado é, além de fazer a contabilidade dentro dos princípios legais, inclusive com observação da legislação sindical, a assessoria ampla e profunda sobre a legislação contábil, fiscal, trabalhista, previdenciária, não só no viés técnico e científico, como e principalmente, no aspecto político que precisa ser observado, quer no cotidiano como no futuro.

Acumulamos nos últimos 37 anos uma sólida experiência tanto na prática quanto no âmbito teórico sobre o sindicalismo, sua história, suas necessidades presentes e futuras quem, perpassam desde os mais comuns aspectos administrativos e contábeis, evoluindo para o trato fiscal, e a apreciação do ponto de vista político das questões que se colocam.

Orientamos aos clientes para, em primeiro lugar, cumprir a lei nos aspectos fiscais e contábeis. Isto porque, além da importância de que se reveste para a visão pública da entidade, impedir que possa sofrer retaliações a partir dessa área.

Já na sua atuação política o cumprimento da legislação em vigor é uma questão da responsabilidade dos dirigentes sindicais diante de suas tarefas em defesa dos direitos e das mais sentidas reivindicações da categoria representada, cabendo a eles escolher o caminho mais adequado à consecução de suas tarefas.

A Asteca prima por não se imiscuir nas questões partidárias e políticas vividas pelos dirigentes das entidades às quais presta assessoria. Isto não que dizer que sejamos insensíveis a elas. Claro que não. Claro que nos preocupamos com a atuação desses dirigentes e suas entidades, e, se convidados, poderemos oferecer-lhes nossas opiniões. Porém, em hipótese alguma, intervimos nas questões internas dos clientes.

Atualmente, além de recomendarmos o estrito cumprimento da lei nas esferas contábeis e fiscais, orientamos que a contabilidade seja mantida rigorosamente atualizada. As contribuições sociais e os tributos recolhidos rigorosamente em dia.

E ainda, recomendamos aos sindicalistas que, nas atuais condições políticas, procurem escolher uma assessoria contábil que, não só possa garantir-lhes um respaldo na área fiscal e contábil, como, ofertar-lhes orientações no plano de atuação sensata na s áreas da política e da atuação sindical.

Yukitaka Mito faleceu em maio de 2006. Registramos aqui nossa eterna gratidão pelo seu espírito solidário e fraterno. Deixou para todos os que o conheceram, uma lição de vida, de honestidade, de decência, de integridade e de luta pelos seus ideais.

José Augusto Azeredo

Fonte: Blog do Zé Augusto

Comentários