ASTECA


As Forças Armadas e o Golpe


Nos últimos dias ficou clara a posição das Forças Armadas Brasileiras, notadamente do Exército, quando o Golpista editou seu AI 5zinho de estimação.

Quando Dilma ainda estava na Presidência da República, entrevistaram um Coronel chefe das Relações Públicas do Exército. Defrontado com a afirmação de que a Globo defendia a entrega do Pré-Sal e da Petrobrás aos estrangeiros, e o que ele achava disso, respondeu que, essa era a posição da Globo e não a do Exército. Que o Exercito era a favor da exploração do Pré-Sal pela Petrobrás, pelos brasileiros, e por aí a fora.

Até o governo FHC as verbas para as Forças Armadas eram minguadas. A ponto de ser estabelecido o "meio expediente" nos quarteis, sem almoço. Ou seja, o conscrito saía ao meio dia com a barriga vazia para almoçar em casa. Sem falar nos imensos problemas operacionais que isto representava para os militares, era ainda, uma suprema humilhação. 

Verbas para pesquisas? Nem pensar. Para ampliar sua atuação no Brasil, vigiar o mar de 200 milhas, os 8.000 km de fronteiras, as verbas vinham num conta-gotas, também humilhante e ineficiente. Aumento dos soldos? Ha, ha, ha, "só no dia de são nunca de tarde"...

Aí veio um torneiro mecânico para a Presidência. As coisas mudaram. O proleta Lula começou a abrir a torneira bem mais. Verbas para pesquisas. Desenvolvimento do trabalho militar, o submarino atômico passou a "navegar" mais rápido, pesquisas nucleares avançaram e etecetera e tal.

Ah! Mas os gringos acharam que "tava bom demais". Puxaram as cordinhas e botaram seus agentes internos em movimento. Começou o desmonte paulatino da Petrobrás. Idem das empresas de construção que atuavam até, e muito, em nível internacional. Mas os galegos cobiçavam tudo isso e trataram de destruir de forma "lenta gradual e segura" como diria o falecido Gal. Geisel. Tratava-se de desvalorizar os ativos nacionais e entregarem-nos aos gringos pelos “30 dinheiros”.

Por fim, tomaram coragem e deflagraram o golpe. Substituíram uma presidenta honesta por um bando de delatados pela Odebrecht e JBS. Sim, a JBS aquela que a mídia dizia que era do filho do Lula e os coxinhas repetiam em tom de adoração... Ha,ha,ha, para desgraça dos coxinhas e dos coxões, não era, e deu no que deu...

Eu sempre disse que a grande maioria dos militares é nacionalista. Podem ser de direita, sim, muitos deles, mas defendem com firmeza os interesses nacionais. De 1970 a 1973 convivi muito com eles, e soube de suas pendências nacionalistas. 

Mas o Temer achou que não. Que podia brincar de Médice e se deu mal. Aliás, se ele não deu conta ainda, deveria dar.

Seu governo vai de ladeira abaixo, junto com os golpistas e com ele mesmo.

Seria prudente já ir ajeitando um apartamento em Miami que é para onde vão os “recusados” das Américas. Todos os golpistas e reacionários quando apertados em seus países vão pra lá. Os cubanos reaças por exemplo. 

Por falar em cubanos, quando a propaganda da mídia internacional e estadunidense buzinava 24 horas que os “opositores” não podiam deixar Cuba, Fidel providenciou a ida deles para lá em grande quantidade. Tantos que o Carter achou melhor parar com isso. Quem desejava, e muito, fugir para Miami eram os pilantras e as prostitutas... 

Mas, voltando ao que interessa:

Os militares deram uma prova cabal de que não apoiam o golpe. Portanto, os que marcharam com as camisetas da CBF (que ironia um ninho de corruptos) bradando contra a corrupção, e pedindo os militares de volta como em 64, aí também se ferraram. Os milicos estão em outra, muito outra, como demonstraram sem "papas na língua" quando da decretação do estado de sítio em Brasília. 

Mas, os trabalhadores não devem esperar por ninguém. Devem continuar ocupando as ruas e praças, pedindo "Fora Temer" e Eleições Gerais Já. ”.

“A praça é do povo assim como o céu é do condor”, já dizia nosso poeta maior, o baiano Castro Alves.

Por isso, quem ocupa Curitiba, Brasília e as demais capitais e grandes cidades do Brasil, além de estar honrando Castro Alves, vai cumprindo sua tarefa de restaurar o Estado de Direito e as Liberdades Democráticas e Sindicais no Brasil. E Já, Companheiros!

José Augusto Azeredo
 

Fonte: Blog do Zé Augusto

Comentários