ASTECA


As entidades sindicais e a situação atual do país


Companheiros, desde há muito venho alertando a todos sobre a situação que o nosso país vem atravessando desde as eleições de 2014. A bagunça geral, crescente, instaurada desde então, abalou os alicerces do Estado de Direito, da Defesa dos Interesses nacionais, das Liberdades Democráticas e Sindicais, enfim, atirou o Brasil num caos nunca visto antes.

Tal situação possibilita o avanço sobre as entidades sem fins lucrativos em geral, e sobre o movimento sindical em particular, primos pobres do Estado Burguês.

Em palestras realizadas desde 2016 venho alertando aos companheiros sobre a necessidade do rigoroso cumprimento da Legislação em Vigor com destaque para a área fiscal.

Sim, tudo que se referir a contribuições e impostos têm que ser tratado com o maior rigor possível. Efetuar os descontos de contribuições e tributos na fonte que a lei mandar sem qualquer perdão. Recolher os valores descontados a favor dos entes públicos respectivos com a maior pontualidade possível. Cumprir os requisitos da Legislação Trabalhista e Previdenciária com relação aos seus empregados religiosamente.

Podem estar certos todos vocês que o Governo Golpista não hesitará em pular no pescoço dos sindicatos sem a menor vacilação sempre que esses mesmos sindicatos infringirem a Lei, mesmo que involuntariamente, mesmo que por desconhecimento desses requisitos ou falta de uma assessoria mais competente nesse mistér. Ou, até mesmo que eles nada tenham cometido de ilegal, se a correlação de forças políticas assim o possibilitar.

Aproveito a ocasião para recomendar a todos que, a hora é de fazer economia porquanto as categorias profissionais e os quadros de associados estão encolhendo em função da violenta crise atirada sobre a nação. Mas, exatamente em função dessa situação aqui tratada, o gasto com uma assessoria de alto nível para às áreas contábil, administrativa e fiscal, não podem nem devem ser contidos. 

Os sindicatos sempre, e hoje então nem se fala, precisaram e precisam de uma assessoria com A maiúsculo para enfrentar a ação do governo e dos patrões contra eles. É a luta de classes, companheiros, da qual vocês não podem esquecer nem descuidar nunca. E ela se agravou com antes ainda não havíamos visto e, como tal precisa ser enfrentada.

O cumprimento da legislação fiscal com todo rigor nessa época que atravessamos nada tem a ver com o cumprimento de outra legislação que vocês considerem haverem sido editadas com a finalidade de roubar os direitos dos trabalhadores, dos pobres, dos negros, das mulheres, dos índios, e de outros cidadãos que não receberem o devido respeito. Aí não tem arreglo. É o combate firme na área política e social que o momento exige de todos os brasileiros, especialmente dos trabalhadores e dos pobres.

Portanto, fica aqui o alerta para o sindicalismo não descuidar do cumprimento da lei com relação ao funcionamento contábil, administrativo e financeiro de suas organizações, ao mesmo tempo em que valentemente combatem as agressões que vierem aos direitos de nosso povo.

José Augusto Azeredo

 

 

Fonte: Blog do Zé Augusto

Comentários