ASTECA


Servidores da USP protestam contra despejo do Sindicato


O Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp) realiza hoje (19), às 12h30, ato contra a ameaça de despejo do prédio onde funciona, na Cidade Universitária. O objetivo é denunciar a postura arbitrária da reitoria da Universidade de São Paulo, que pretende retirar a instituição do local.

A diretoria do Sintusp informa que a reitoria conseguiu na Justiça uma liminar de reintegração de posse, com autorização do uso de força policial. O espaço já foi cercado com grades, violando a autonomia sindical e impedindo o acesso de veículos.

O diretor Magno de Carvalho relatou à Agência Sindical que a perseguição da Universidade ao Sindicato vem desde 2014 "quando a tentativa de desvincular os hospitais universitários da instituição foi frustrada por conta da ação sindical desenvolvida na época. Desde então, a reitoria cortou relações com a entidade", afirma.

“Trata-se de um claro atentado ao direito de organização sindical dos trabalhadores da USP. Uma conduta evidentemente antissindical, que reforça a clara intenção do reitor de sucatear a Universidade para depois privatizar”, denuncia o sindicalista.

Creche - Na segunda (16) e terça (17), faltando apenas uma semana para o retorno das atividades letivas, a reitoria da USP também tentou fechar uma das creches localizadas no campus, com a desocupação de seu prédio.

De acordo com Sindicato, não houve comunicação oficial sobre o fechamento aos funcionários e famílias atendidas. "A reitoria tentou fechar a creche, mas os funcionários se recusaram a fazer. Ela então contratou uma empresa particular. Ainda assim, não obteve êxito, pois a sede da creche foi ocupada”, conta Magno.

As creches garantem inúmeros direitos, como educação infantil pública aos filhos de trabalhadores e alunos.

Fonte: Repórter Sindical

Comentários